sábado, 26 de janeiro de 2008

Olhares

Há olhares tristes, olhares doces, olhares meigos, olhares assustados.
Há olhares apaixonados, olhares furiosos, olhares inquiridores, olhares frustados.
Há olhares frios, olhares quentes, olhares penetrantes, olhares indiferentes.

Que olhar é o meu hoje? Agora?
Olhar vivo? Olhar mortiço?
Olhar que só olha ou olhar que vê?
Olhar que define?
Olhar que interroga?
Olhar que intimida?Olhar que conforta?

Quando me olhas, que vês? Vês-me a alma, o corpo, um mar de letras sem sentido?
Quando me olhas, que vês? Vês o que sinto ou o que quero sentir?
Quando me olhas, que vês? Vês o que sou ou o que quero ser?

Apercebes-te de mim ou daquilo que quero que vejas?
Vês os meus segredos e tristezas? As minhas frustações e agonias?
Vês os meus choros calados e os meus passados escuros?
Vês a minha força imensa ou a minha imensa cobardia?
Vês os meus sucessos ou os meus sucessivos fracassos?

Afinal, que fazes com o olhar? Descobres ou deixas que te descubram?

Publicado aqui a 4 de Agosto de 2007